'Não sou assassino': réu no caso da 'Boate Kiss' grita e chora ao chegar no júri



Um dos réus do incêndio na boate Kiss, Luciano Bonilha Leão, ex-produtor musical da banda Gurizada Fandagueira, gritou "não sou assassino" ao chegar para o julgamento no Fórum de Porto Alegre nesta quarta-feira, 1º. 

Bonilha chega ao local, chorando e claramente abalado, acompanhado por seus advogados.

Continue a leitura depois do anuncio.

Ele foi o responsável por comprar e ativar o artefato pirotécnico que iniciou o incêndio da boate Kiss, que deixou 242 mortos e 636 feridos em 2013, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. 

O Tribunal do Júri teve início nesta tarde, mais de oito anos após a tragédia, e deve durar cerca de 15 dias.  

Além do ex-produtor, são réus os dois sócios da boate, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, e o músico Marcelo de Jesus dos Santos. 

Eles ficaram presos por quatro meses e respondem em liberdade. Os quatro serão julgados por 242 homicídios simples com dolo eventual e 636 tentativas de assassinato.


Fonte: AconteceuEmToledo 



Envie sugestões de Pautas ou Fotos, e acompanhe as notícias em primeira mão.
Entre no nosso grupo do WhatsApp: Clicando Aqui